Manejo agrícola em comunidades rurais no Ceará e Pernambuco

Josefa Maria Francieli da Silva; Antônio Marcos Duarte Mota; Hamilton Tavares Gondim; Paulo José de Morais Máximo; Leonardo Lenin Marques de Brito; Wendel de Melo Massaranduba; Felipe Thomaz da Camara

  • Josefa Maria Francieli da Silva
  • Antônio Marcos Duarte Mota
  • Hamilton Tavares Gondim
  • Paulo José de Morais Máximo
  • Leonardo Lenin Marques de Brito
  • Wendel de Melo Massaranduba
  • Felipe Thomaz da Camara
Palavras-chave: Sustentabilidade; agricultura familiar; produtividade

Resumo

Existem diversas técnicas de manejo adotadas pela agricultura familiar, que podem modificar de forma positiva ou negativa as propriedades do solo. O objetivo deste trabalho foi identificar o tipo de manejo agrícola adotado por comunidades de agricultores nos estados do Ceará e Pernambuco. O presente trabalho foi realizado nos meses de março a junho de 2013 em cinco municípios do Estado do Ceará localizados na região do Cariri (Missão Velha, Tarrafas, Araripe, Milagres e Abaiara) e no município de Exú em Pernambuco. Foram formuladas e aplicadas questões relacionadas ao manejo agrícola, tamanho da área utilizada para fins agrícolas, se foi feito algum tipo de adubação; caso sim, qual o tipo de adubação, se usa algum tipo de mecanização, caso sim, qual o tipo de mecanização, adoção de práticas de conservação do solo. Observa-se que todas as comunidades dos municípios estudados realizam alguma prática de conservação, entre elas o consórcio (93%) e a rotação de culturas (52%) são as mais utilizadas. Apenas a comunidade Serra da Mãozinha utiliza o sistema de plantio em nível pelo fato do relevo ser acidentado ou muito acidentado. Todas as comunidades são constituídas por pequenos agricultores familiares com propriedades até 4 ha de área agrícola.

Publicado
2021-01-19