Fitorremediação de solos salinos em sistema de cultivo protegido

Raquel Zanholo da Silva1; Flávio Marcel Ferreira Gonçalves; Dayane Aparecida Souza; Josiane Aparecida dos Santos Berti; Amanda Silveira Reis; Thiago Henrique Arruda Vieceli; Ana Maria Conte

  • Raquel Zanholo da Silva
  • Flávio Marcel Ferreira Gonçalves
  • Dayane Aparecida Souza
  • Josiane Aparecida dos Santos Berti
  • Amanda Silveira Reis
  • Thiago Henrique Arruda Vieceli
  • Ana Maria Conte
Palavras-chave: Remediação de solos; estufa; salinização.

Resumo

Algumas particularidades da produção agrícola, como o cultivo em ambiente protegido, a aplicação de produtos que se usados continuamente podem comprometer a qualidade do solo, podem ser um entrave à produção agrícola, por salinizar o solo, lixiviar para o lençol freático. Assim o uso de plantas fitorremediadoras pode ser uma opção para tratar esses ambientes. O objetivo do trabalho foi determinar espécies vegetais com potencial fitoextrator no solo. O experimento foi utilizado o delineamento em blocos ao acaso com 4 tratamentos e 5 repetições, foram utilizados milheto, feijão-de-porco, alfafa e um tratamento sem cultura, os vaso com capacidade de 5 litros foram mantidos sob cultivo protegido. O solo utilizado no experimento é classificado como Lassolo vermelho eutroférrico e foi coletado de uma área de cultivo protegido (estufa) cultivado com pimentão, no município de Bandeirantes (PR), na profundidade de 0-20 cm em 15 pontos por linha em 12 linhas de plantio na fase de reforma, no período de março a julho de 2014 . O solo foi avaliado inicialmente e aos 45 dias após emergência das plantas foi novamente avaliado para análise química de rotina. Os dados foram avaliados pelo programa SASM-agri, com nível de probabilidade de 5% pelo teste de Tukey. Concluiu-se que nas condições experimentais o milheto pode ser indicado como planta fitorremediadora desse solo.

Publicado
2021-01-18