Fungicidas aplicados na cultura da soja visando o controle da ferrugem asiática no estado do Tocantins

Francisco de carvalho Ribeiro; Eduardo Andrea Lemus Erasmo; Eduardo Bezerra de Moraes; Fernando Barnabé Cerqueira; Edilson Pereira de Matos; Francileia de Sousa Rocha

  • Francisco de carvalho Ribeiro
  • Eduardo Andrea Lemus Erasmo
  • Eduardo Bezerra de Moraes
  • Fernando Barnabé Cerqueira
  • Edilson Pereira de Matos
  • Francileia de Sousa Rocha
Palavras-chave: Glycine max; proteção de plantas; severidade.

Resumo

A ferrugem-asiática da soja, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, é uma das doenças mais severas que incide na cultura da soja. Plantas severamente infectadas apresentam desfolha precoce, que compromete a formação, o enchimento de vagens e o peso final do grão. Objetivou-se com o trabalho avaliar a eficácia de diferentes programas de fungicidas aplicados via foliar visando o controle da doença ferrugem asiática na cultura da soja na região central do estado do Tocantins. O experimento foi conduzido no ano agrícola 2014/2015 em condições de campo na Fazenda Pedrinha, situada no município de Porto Nacional – TO. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados com três repetições, o experimento foi composto por nove tratamentos. As aplicações iniciaram-se no estádio reprodutivo R1 Início do florescimento. As variáveis analisadas foram as seguintes: severidade da soja, desfolha, área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD), massa de mil grãos e produtividade de grãos. Conforme dados obtidos, para as condições de campo de Porto Nacional – TO, com base na severidade da doença, desfolha e rendimento de grãos os fungicidas mais promissores para o controle de Phakopsora pachyrhizi são azoxistrobina +
benzovindiflupir isolado ou associado com fungicida protetor mancozebe na última aplicação.

Publicado
2021-01-18