Interações alelopáticas do extrato aquoso do crambe sobre o desenvolvimento inicial de trigo

Fernanda de Fatima Paiva; Aline Renosto; Tuani Fabiula Marostica; Kátia Marilia Vonz; Rafael Augusto Brustolon; Clair Aparecida Viecelli

  • Fernanda de Fatima Paiva
  • Aline Renosto
  • Tuani Fabiula Marostica
  • Kátia Marilia Vonz
  • Rafael Augusto Brustolon
  • Clair Aparecida Viecelli
Palavras-chave: Alelopatia; Crambe abyssinica H.; Triticum aestivum L

Resumo

A alelopatia pode ser definida como a capacidade da planta liberar aleloquimicos, podendo ter um efeito benéfico ou maléfico para a planta receptora. Neste trabalho objetivouse analisar o efeito alelopático do extrato aquoso estático do crambe (Crambe abyssinica Hochst ex R.E.Fr.) sobre o desenvolvimento inicial da parte aérea e radicular do trigo (Triticum aestivum L.) da variedade CD 108. Os extratos de crambe foram testados nas concentrações de 0, 2,5, 5, 7,5 e 10%, sendo adicionadas em caixa de gerbox com 25 sementes e uma folha de papel filtro, sendo esta uma repetição composta de quatro para cada tratamento. O experimento foi conduzido em câmara de germinação do tipo BOD, a 22ºC, com fotoperíodo de 12 horas luz durante 7 dias. Os dados foram submetidos à análise de variância (ANAVA) e teste de média por Tukey (p=0,05%) pelo programa estatístico SISVAR. Os resultados demonstram que a concentração de 2,5% estimulou o crescimento da parte aérea e radicular do trigo, ao passo que a maior concentração (10%) inibiu o desenvolvimento da parte aérea e a radicular e as demais concentrações inibiram o desenvolvimento da raiz, quando comparados à testemunha.

Publicado
2021-01-18