Alelopatia de espécies da família Lamiaceae sobre o desenvolvimento de alface

Lilian Rogéria da Silva; Claudia Tatiana Araujo da Cruz-Silva; Nelvio Augusto Thibes de Barros; Maria Madalena de Carvalho Olivetti

  • Lilian Rogéria da Silva
  • Claudia Tatiana Araujo da Cruz-Silva
  • Nelvio Augusto Thibes de Barros
  • Maria Madalena de Carvalho Olivetti
Palavras-chave: Aleloquímicos; extratos aquosos; folhas frescas; germinação, labiatae.

Resumo

Alelopatia tem sido postulada como uma das vias pelas quais determinadas plantas interferem no desenvolvimento de outras. Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito alelopático de extratos aquosos de hortelã (Mentha sp), falso-boldo (Coleus barbatus), sálvia
(Salvia officinalis), manjerona (Origanum majorana) e alecrim (Rosmarinus officinalis) sobre a germinação e desenvolvimento de sementes de alface. Os extratos foram obtidos de folhas frescas coletadas no Horto Medicinal da UNIPAR, as quais foram trituradas para a obtenção do extrato bruto, a partir do qual foram feitas diluições, totalizando 6 tratamentos nas seguintes concentrações: 0, 1 0, 20, 30, 40 e 50%. Após uma semana, observou-se que os extratos de hortelã, sálvia, manjerona e alecrim reduziram a germinação de sementes de alface, ao passo que os extratos de falso-boldo estimularam este processo. O crescimento não seguiu um padrão de resposta, variando conforme a espécie e a concentração. Os extratos das cinco espécies analisadas promovem a formação de plântulas anormais. Conclui-se que os extratos testados apresentam efeito alelopático, sendo os resultados mais evidentes no percentual de germinação e formação de plântulas anormais.

Publicado
2021-01-15