Caracterização física e química de substratos formulados com casca de pinus e terra de subsolo

Fernanda Ludwig; Amaralina Celoto Guerrero; Dirceu Maximino Fernandes

  • Fernanda Ludwig
  • Amaralina Celoto Guerrero
  • Dirceu Maximino Fernandes
Palavras-chave: substratos para plantas; casca de pinus; terra de subsolo

Resumo

A pesquisa foi conduzida com o objetivo de caracterizar física e quimicamente substratos formulados com casca de pinus e terra de subsolo. O experimento foi realizado em laboratório, no Departamento de Recursos Naturais/Ciência do Solo da FCA-UNESP de Botucatu, SP. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com 8 tratamentos e 4 repetições. As formulações avaliadas foram: 1- 100% casca de pinus grossa; 2- 50% casca de pinus grossa, 50% terra de subsolo; 3- 70% casca de pinus grossa, 30% casca pinus fina; 4- 60% casca de pinus grossa, 40% casca pinus fina; 5- 40% casca pinus grossa, 40% casca pinus fina, 20% terra de subsolo; 6- 50% casca pinus grossa, 40% casca pinus fina, 10% terra de subsolo; 7- 50% casca pinus fina, 40% casca pinus grossa, 10% terra de subsolo; 8- 80% casca fina, 20% terra de subsolo. Foram realizadas as seguintes análises químicas e físicas: condutividade elétrica, pH, densidade úmida e seca, relação entre sólidos, ar e água e distribuição do tamanho das partículas. A terra de subsolo e casca de pinus de granulometria fina promoveram o aumento da CE e a redução do espaço de aeração quando adicionados à casca de pinus de maior granulometria. A escolha dos materiais para formulação dos substratos dependerá da disponibilidade do material, da espécie a ser utilizada e do manejo a ser adotado.

Publicado
2020-12-17