Interferência alelopática do extrato de crambe sobre sementes de capim-amargoso

Nayara Rizo Boehm; Ana Paula Morais Mourão Simonetti

  • Nayara Rizo Boehm
  • Ana Paula Morais Mourão Simonetti
Palavras-chave: Crambe abyssinica; germinação; plantas daninhas

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo avaliar o efeito de extrato do fruto do crambe (Crambe abyssinica Hochst) sobre a germinação do capim-amargoso (Digitaria insularis (L.) Fedde). O experimento foi conduzido no Laboratório de Sementes, localizado na Faculdade Assis Gurgacz - FAG, em Cascavel, no Paraná, e dividido em duas etapas. Os extratos foram obtidos através da trituração em água e foram adicionados em diferentes concentrações, sendo que na primeira etapa as dosagens foram de 0, 5, 10, 15 e 20%, e na segunda fase as doses foram reduzidas para 0, 2, 4, 6 e 8%. Os ensaios foram conduzidos em delineamento inteiramente casualizado com 5 tratamentos e 5 repetições e colocados em caixas do tipo gerbox com duas folhas de papel germitest umedecidas em 15mL das respectivas concentrações de extrato de crambe, e 50 sementes de capim-amargoso em cada caixa, mantidas em BOD durante 14 dias em temperaturas de 26°C ±2 e fotoperíodo de 12 horas/luz. Os dados para sementes germinadas, plântulas normais e anormais, e sementes mortas foram submetidos à análise de variância e as médias ajustadas à regressão linear no programa Assistat. Os resultados demonstram que o crambe possui efeito inibidor da germinação do capim-amargoso, uma vez que em ambas as etapas houve apenas a germinação nas concentrações de 0% - testemunha, sendo que as poucas sementes germinadas foram em doses baixas de extrato de crambe e se desenvolveram em plântulas anormais.

Publicado
2020-12-16