Palhada de soja sobre a germinação e desenvolvimento inicial de trigo e milho

Marcio Cleiton de Oliveira; Clair Aparecida Viecelli; Samara Patrycia Trés

  • Marcio Cleiton de Oliveira
  • Clair Aparecida Viecelli
  • Samara Patrycia Trés
Palavras-chave: Triticun aestivum; Zea mays; Glycine max.

Resumo

Neste trabalho foi analisado a interferência na germinação, plantas anormais, comprimento de raiz e parte aérea de duas variedades de trigo e milho, sobre a influência de diferentes concentrações de extrato de soja. Os testes foram conduzidos no Laboratório de Fitopatologia e Armazenamento de Sementes da FAG. Para o delineamento experimental foi utilizado o inteiramente casualizado, com quatro repetições cada, sendo cada repetição composta por 25 sementes, mantidas durante 7 dias em câmara de germinação a 22oC e 12 horas de luz. Foi realizada a comparação de médias através do teste de Tukey a 5% de probabilidade. Concluindo as análises, observa-se que para o índice de germinação, número de raízes e parte aérea das variedades de milho (AG 9010 YG e CD 308) não apresentaram diferenças estatísticas significativas. Já para comprimento de radículas verifica-se que uma concentração maior que 5% causa efeito positivo mantendo esse efeito em até 20% de concentração. Nas variedades de trigo (BRS tangará e CD 108) não se obteve diferenças significativas para o índice de percentagem de germinação e número de raízes. Porém de maneira geral, os extratos mostraram efeito positivo no desenvolvimento radicular e parte
aérea.

Publicado
2020-12-11