Aplicação foliar de molibdênio e fosfito de potássio na incidência da ferrugem asiática da soja

Thiago Felipe Gasparin; Clair Aparecida Viecelli; Gláucia Cristina Moreira

  • Thiago Felipe Gasparin
  • Clair Aparecida Viecelli
  • Gláucia Cristina Moreira
Palavras-chave: Glycine max L.; Phakopsora pachyrhizi; fertilizante foliar.

Resumo

A produção de soja no Brasil tem aumentado significamente nos últimos anos, sendo a grande impulsionadora dos agronegócios brasileiros, mas para manter este grau, alguns fatores limitam a obtenção de altos rendimentos, dentre eles as doenças especialmente a ferrugem asiática causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi. Atualmente vários estudos vêm sendo pesquisados no controle da doença. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência do Fosfito de Potássio e Molibdênio como fertilizante foliar na redução da incidência a ferrugem da soja. O experimento será conduzido em condições de campo, sendo utilizados quatro tratamentos com quatro repetições identificados como T1 - Testemunha (sem tratamento); T2 – Tratamento foliar com fosfito de potássio; T3 - Tratamento foliar com fosfito de potássio associado com molibdênio; T4 – Tratamento foliar com molibdênio. Os parâmetros avaliados efetuaram-se na fase de quarto trifólio após 21 dias da inoculação do fungo, onde foi retirado ao acaso o 4° trifólio de 5 plantas por parcela, escaneadas equantificado a porcentagem de severidade da doença através do softaware Quant versão 1.0. Os dados analisados foram submetidos ao teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade. Os resultados indicam uma severidade menor da ferrugem asiática da soja tratada com fosfito de potássio em relação à testemunha.

Publicado
2020-12-10