Avaliação de espigas de milho em função da aplicação foliar de silício

Lucas Barbosa de Freitas; Elson Martins Coelho; Suelen Cristina Mendonça Maia

  • Lucas Barbosa de Freitas
  • Elson Martins Coelho
  • Suelen Cristina Mendonça Maia
Palavras-chave: Doses; épocas de aplicação; massa de espiga.

Resumo

Inúmeros trabalhos têm mostrado o efeito benéfico do silício sobre o acréscimo da produção de diversas culturas como, por exemplo: arroz e cana-de-açúcar. Desta maneira, realizou-se experimento na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul / Unidade Universitária de Cassilândia, objetivando determinar o efeito de doses e épocas de aplicação de silício via foliar no milho, cultivado no ano agrícola 2007/2008. O delineamento experimental adotado foi o de blocos casualizados em esquema fatorial 5x3, com quatro repetições envolvendo doses de silício (0, 130, 260, 390 e 520 g ha-1) e épocas de aplicação (2, 5 e 8 folhas expandidas). As variáveis analisadas foram: diâmetro de espiga, comprimento de espiga, número de fileira por espiga, número de grãos por fileira, massa de sabugo, massa de espiga. O silício aplicado via foliar não influencia positivamente nenhuma característica de espiga.

Publicado
2020-12-07