Controle de doenças com fungicidas em trigo

Rodrigo dos Santos; Edenei Swartz; Dermânio Tadeu Lima Ferreira; Claudia Fieira

  • Rodrigo dos Santos
  • Edenei Swartz
  • Dermânio Tadeu Lima Ferreira
  • Claudia Fieira
Palavras-chave: Eficiência; rendimento; pH.

Resumo

Para verificar a resposta da cultivar de trigo CD 104 ao controle químico das doenças foliares realizou-se este experimento na Fazenda escola da Faculdade Assis Gurgacz. Foram feitos oito tratamentos, variando doses e combinações de ingredientes ativos de fungicidas (Azoxystrobin, Cyproconazole, Trifloxistrobina, Tebuconazole, Epoxiconazole, Pyradostrobin, Fenpropimorph), além de adjuvantes, que foram aplicados em três estádios do trigo, 1º- preventivo no alongamento, 2º- emborrachamento e 3º- no espigamento das plantas. As aplicações foram feitas com um pulverizador costal propelido a CO2, com bicos tipo cone (TXVS – 10/ TEEJET) a uma pressão de trabalho de 40 libras Pol-² e volume de calda de 180 l há-¹. Avaliou-se o PH do trigo, onde não se verificou diferença significativa estatística entre os tratamentos. Já na variável rendimento de grãos a testemunha foi inferior aos demais tratamentos, mostrando assim a importância da aplicação de fungicidas para o controle das doenças foliares em trigo, onde resultou em acréscimos no rendimento de grãos, devido as
plantas permanecerem com uma maior área verde por mais tempo, independente do produto utilizado, que neste caso as medias obtidas pelos tratamentos com diferentes produtos não se distinguiram entre si ao nível de 5% de significância pelo teste de Tukey.

Publicado
2020-12-07